Polícia pede exames médicos de idosa que dirigia carro que subiu na calçada e atingiu duas pessoas em Chapecó

A Polícia Civil pediu exames médicos para a idosa de 72 anos que dirigia o carro desgovernado que subiu na calçada em Chapecó, no Oeste, e atingiu duas jovens em novembro. Uma delas morreu. Ele pediu os exames médicos "para tentar explicar por que ela teve esse lapso". "Os exames podem indicar alguma circunstância que afaste a culpa dela no acidente", completou o delegado.

Cadastrado em 05/12/2018 08:23

Notícia por Agência de Notícias Qbo Mais

Polícia pede exames médicos de idosa que dirigia carro que subiu na calçada e atingiu duas pessoas em Chapecó

A Polícia Civil pediu exames médicos para a idosa de 72 anos que dirigia o carro desgovernado que subiu na calçada em Chapecó, no Oeste, e atingiu duas jovens em novembro. Uma delas morreu. O delegado responsável pelo caso, Luiz Schaefer, também aguarda os laudos cadavérico e de lesões corporais das vítimas para concluir o inquérito. 

Em 22 de novembro, um carro desgovernado subiu a calçada da Avenida Getúlio Vargas, no Centro, e atropelou uma jovem de 21 anos e outra de 22. A mais velha, Taís Wengenovicz, foi socorrida e levada ao hospital, mas morreu seis dias depois. 

Na segunda-feira (3), a Polícia Civil ouviu os policiais militares que atenderem o acidente e a motorista do carro. Ao G1, o delegado disse que a idosa "comentou que não se recorda de nada do que aconteceu, nem dos momentos antes da colisão, simplesmente não se recorda de nada". 

Ele pediu os exames médicos "para tentar explicar por que ela teve esse lapso". "Os exames podem indicar alguma circunstância que afaste a culpa dela no acidente", completou o delegado. O inquérito deve ser concluído em até duas semanas. 

Fonte: G1 Santa Catarina   Foto: Reprodução/Facebook


Tags da postagem

Acidente de trânsito Morte atropelamento Geral Chapecó 22 de novembro de 2018 Preservação Pessoal exames médicos

Comentários

Para comentar, acesse com seu Passaporte Archipèlagus validado.

Acessar