SC classifica seis equipes para o torneio nacional de robótica da FLL

Equipes de Concórdia, Timbó, Criciúma, Blumenau, Brusque e Rio do Sul disputarão a fase nacional, que ocorre em São Paulo de 6 a 8 de março

Em 10/02/2020 16:37

Notícia por MB Comunicação

SC classifica seis equipes para o torneio nacional de robótica da FLL

Equipes de Concórdia, Timbó, Criciúma, Blumenau, Brusque e Rio do Sul conquistaram vaga na etapa nacional do torneio de robótica da First Lego League (FLL). Os classificados foram conhecidos neste sábado (8), no encerramento da fase regional da competição, realizada no SESI em Jaraguá do Sul, que reuniu 200 estudantes de todas as regiões do estado. A Agrorobots, de Concórdia, conquistou o primeiro lugar, seguida da equipe Os Aliemons (Timbó) e da Carvoeiros Robots (Criciúma). Além das três, as equipes Techmaker (Blumenau), Tecnorob Evolution (Brusque) e Little Builders (Rio do Sul) também garantiram vaga na etapa nacional.

“Temos um projeto, o Jaraguá Mais Saudável, que busca tornar a cidade mais produtiva, e vários projetos mostrados aqui estão alinhados a essa ideia, com aplicação factível. Com certeza estaremos bem representados na etapa nacional com as equipes classificadas”, destacou o gerente-executivo de SESI e SENAI na região, Jefferson Galdino. A analista de desenvolvimento industrial do departamento nacional do SESI, Izabel Cristina Alves de Sousa, comentou a importância do evento, que desafia escolas a repensarem a atualizarem seus currículos. “Esse aprendizado todo, conquistado no torneio, fica para vida. Carreguem com vocês”, disse.

Os estudantes são avaliados em quatro categorias. Uma delas é o Desafio do Robô, quando os estudantes colocam os robôs de Lego para cumprir determinadas missões. Para isso, o robô pode capturar, transportar, ativar ou entregar objetos na mesa de competição.

Os robôs, projetados e construídos pelos próprios alunos, também são avaliados na categoria Design do Robô. Os times podem utilizar sensores de movimento, cor, controladores e motores. Os juízes levam tudo isso em consideração, além da estratégia e programação.

Outra avaliação importante é o Projeto de Inovação. É quando os estudantes apresentam uma solução inovadora sobre o desafio da temporada. O projeto é apresentado para os outros competidores e o público visitante nos torneios de robótica, e será avaliado pelos juízes. Por fim, na categoria Core Values os estudantes precisam mostrar que sabem trabalhar em equipe, com inclusão, diversão e inovação.

Robótica nas escolas - Inserida nos currículos escolares, a robótica contribui para a formação dos estudantes, que passam a enxergar novas possibilidades de carreiras, como conta o professor Peterson Dirksen, técnico das equipes de robótica da Escola de Educação Básica Professora Anari Margarida Voltolini, de Pouso Redondo. “Temos alunos no ensino médio que participam da robótica e têm outra visão de mercado de trabalho. Um dos alunos não tinha considerado formação em áreas de tecnologia e robótica. Estamos tendo um ganho bem positivo”, avalia. Ele e mais dois colegas são voluntários em atividades no contraturno escolar.

A disputa nacional será realizada em São Paulo, de 6 a 8 de março, e reunirá 100 equipes de todo o país. Em Santa Catarina, 36 equipes de escolas públicas, privadas e da rede SESI SENAI participaram do torneio, representando 23 municípios. A realização do evento contou com o apoio de 100 voluntários, entre eles, colaboradores da Weg e 50 juízes. Cerca de 1,5 mil pessoas passaram pelo evento.
Confira os premiados:
Resultado Geral (Champion’s Award)
1º lugar – Agrorobots, escola SESI SENAI de Concórdia 2º lugar – Os Aliemons, do Centro Educacional Robomind, de Timbó 3º lugar – Carvoeiros Robots, do SESI SENAI de Criciúma
Gracious Profissionalism 2.0 Techmaker, escola SESI SENAI de Blumenau
Trabalho em equipe XT100Fast Robots, escola SESI SENAI de Jaraguá do Sul
Inspiração
J4R4, alunos da rede municipal de Jaraguá do Sul
Apresentação Robotic Tropers Alfa, Escola de Educação Básica Professora Anari Margarida Voltolini, de Pouso Redondo
Solução inovadora Anonymous, Colégio Coração Feliz, de Tubarão
Processo de inovação Iron Maker, escola SESI SENAI de Joaçaba
Estratégia e Inovação Little Builders, escola SESI SENAI de Rio do Sul
Programação Tecnorob Evolution, escola SESI SENAI de Brusque
Design do robô Woodworkers, escola SESI SENAI de São Bento do Sul
Desafio do robô Agrorobots, escola SESI SENAI de Concórdia
Finais do desafio do robô – Carvoeiros Robot, do SESI SENAI de Criciúma
Prêmio dos Juízes (melhor técnico) – Patricia Boesing, da equipe Iron Maker, escola SESI SENAI de Joaçaba
Prêmio dos Juízes (contra todas as adversidades) Robotic Tropers Gama, Escola de Educação Básica Professora Anari Margarida Voltolini, de Pouso Redondo Guardiões da Robótica, de Atalanta
Prêmio dos Juízes (estrela iniciante) Atalantec, Escola Municipal de Ensino Fundamental Vila Gropp, de Atalanta Robot’s Squad, Escola Municipal de Educação Básica Max Schubert, de Jaraguá do Sul

 

 

Texto: Assessoria de Imprensa da FIESC


Tags da postagem